Notícias

passeio de bicicleta massa critica lisboa portugal

37 coisas grátis para fazer em Lisboa

37 coisas grátis para fazer em Lisboa. Não se queixe mais. Não ter dinheiro deixou de ser desculpa para não sair de casa

Não sabe o que fazer em Lisboa? De concertos de rock a bailes de forró, de tardes de críquete a noites de tricot, damos-lhe excelentes sugestões para aproveitar tudo quanto é à borla na cidade. São 37 coisas grátis para fazer em Lisboa.

37 coisas grátis para fazer em Lisboa

Veja estrelas

No último sábado de cada mês o Observatório Astronômico de Lisboa organiza sessões gratuitas de observação do céu com telescópios no exterior – se o tempo ajudar, claro. Antes de olhar para as estrelas há sempre uma palestra com um investigador astronômico que pode tirar as suas dúvidas sobre o universo. Cada sessão tem 160 lugares disponíveis, mas como são bastante concorridas convém inscrever-se no site do Observatório (a abertura das inscrições é sempre anunciada na página de Facebook do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço).

Observatório Astronômico de Lisboa, Tapada da Ajuda. www.oal.ul.pt 

Junte-se a um grupo de tricot

Este grupo, por enquanto, é só de mulheres, até porque os homens “ainda não querem admitir que fazem tricot”, diz uma das responsáveis da Tricot das Cinco. A loja de fios para tricot e crochet costuma realizar encontros para tricotar às sextas-feiras à noite, de três em três semanas, das 18.00 às 21.00, ideais para quem anda à procura de alternativas às saídas noturnas. Aqui também se fala sobre música, cinema e o que surgir, mas é o tricot que rouba a atenção de toda a gente. Partilham-se experiências, livros de tricotar importados que acabaram de chegar pelo correio e testam-se fios novos. Atenção que não se ensina a tricotar, convém ter experiência, para não perder o fio à meada.

Adira ao swing

Trocar de casal também pode ser grátis, mas aqui falamos de dança: as sessões informais de bailarico Jump Sessions são organizadas pela Swing Station e repetem-se todas as semanas no Mercado da Ribeira (quartas às 21.00). Dança-se charleston, swing, lindy hop e outros estilos vintage de origem norte-americana. Consulte ainda a agenda da Swing Station para descobrir outras aulas abertas, também gratuitas.

 

 Pedale como se não houvesse amanhã

Se quer andar de bicicleta sem pagar nada, por enquanto vai ter de ir até Cascais. A partir daí, pode pedalar para onde quiser, desde que no fim do dia devolva a bicicleta. As Bicas podem ser levantadas em vários pontos (junto à estação da CP, perto da Casa das Histórias Paula Rego ou na Guia) e basta apresentar um documento de identificação. As bicicletas têm cestos para poder também levar lanche para um piquenique no Guincho, e assim não gastar mesmo nada.

Mais info: www.cm-cascais.pt

Jogue xadrez com os cromos

A Padaria do Povo é um dos locais mais na moda em Campo de Ourique, mas é mais conhecida pelos jantares de grupo e pela esplanada do que pelas atividades que vão acontecendo ao longo da semana – e até bailes de reformados lá se fazem. As terças de xadrez, gratuitas e a partir das 21.30, são recomendadas pela Associação de Xadrez de Lisboa e costumam reunir cromos e amadores. Se não tiver cabeça para isso, também há sueca e dominó.

Padaria do Povo, Rua Luís Derouet, 20, Campo de Ourique. Terças, a partir das 21.30.

Dance um tango queer

“Se sabes andar, podes dançar tango”, diz a página de Facebook do grupo Tango4Fun e isso esgota muitas desculpas para não se juntar ao baile. As aulas de tango argentino acontecem todas as terças no CastroBeer, em Santos, e estão abertas a todas as orientações e ambos os sexos. Homens com homens, mulheres com mulheres, não há regras para os pares e aqui vai aprender a “conduzir e ser conduzido”. O tango começa às 21.00 com um recapitular da aula passada e a música prolonga-se depois das 23.00, para ficar a dançar com quem quiser.

Tango4Fun, Rua de São Paulo, 121. Às terças, a partir das 21.00.

Passeie com os Wild Walkers

Os Wild Walkers são uma empresa de atividades turísticas low-cost da cidade – tão low-cost que algumas até são mesmo grátis, como os passeios a pé, “muito procurados pelos backpackers de viagem pela Europa”. Mesmo que não seja um backpacker, pode pôr uma mochila às costas e juntar-se aos passeios que lhe apresentam a cidade mais alternativa, com comida e street art à mistura. Os trajetos duram aproximadamente duas horas e meia e passam por Alfama, Graça ou Bairro Alto, conforme o dia e a disposição do grupo. São uma boa oportunidade também para conhecer estrangeiros e treinar o inglês. No fim, e se gostou do passeio, é suposto deixar uma gorjeta para o guia.

www.wildwalkerstours.com

Troque o livro que acabou de ler por outro

A história da Cabine da Leitura podia dar um policial do gênero “Os Ladrões de Livros” ou coisa parecida – e talvez lá encontre um título parecido. Quando a minibiblioteca abriu ao público em plena Praça de Londres, em Abril de 2015, os livros começaram a desaparecer às dezenas – para depois aparecerem na Feira da Ladra, o conto do vigário, já se sabe. Por causa disso, a Cabine costuma ter sempre um voluntário a controlar os livros. Os horários não são lá muito certos, mas pode procurá-los na página de Facebook do projeto. Ainda assim, e apesar do espaço ser apertado, aqui encontram-se boas leituras. “As pessoas só deixam os livros de que gostam e não aqueles que andam lá para casa e que são para dar”, garante Carlos Moura-Carvalho, um dos responsáveis. É simples e grátis, basta trocar o livro que acabou de ler por outro. Cabine de Leitura, Praça de Londres, 10.

Pinte uma parede sem ser preso

Se quer dar uma de graffiter, fique a saber que pode pintar uma parede sem ter problemas com as autoridades. Isto, claro, se pintar no local certo. Inspire-se a olhar para os painéis da Galeria de Arte Urbana, na Calçada da Glória e no Largo do Oliveirinha, com a exposição ao ar livre “Cântico Negro”, do coletivo de artistas urbanos RUA. Depois, pegue nas latas e comece a pensar em fazer o seu próprio mural. Ou pelo menos uns rabiscos. É perto do Largo, na Travessa do Fala-Só, que encontra duas paredes de “pintura livre”. Vai reparar nelas facilmente, já que estão cheias de tags e frases ao acaso, pintadas umas em cima das outras. No fim, tire uma foto à sua obra de arte, até porque mais cedo ou mais tarde alguém vai tapá-la.

Travessa do Fala-Só (perto do Elevador da Glória)

Jogue com desconhecidos numa pastelaria

Tentações. O nome podia ser o de um bar de strip, mas na verdade estamos numa pastelaria em Picoas habituada a servir almoços a executivos. Às quartas, a maior agitação acontece sempre depois do trabalho, a partir das 18.00, quando as mesas se enchem de jogos de tabuleiro para os encontros semanais e gratuitos dos Boardgamers de Lisboa. E não estamos a falar de meia dúzia de gatos pingados. Aqui costumam juntar-se mais de 50 fãs de jogos de tabuleiro para jogar com conhecidos e desconhecidos. “Não precisa de saber regras para participar”, encoraja Tiago Duarte, um dos membros do grupo que se formou em 2006 e chegou a encontrar-se no Alvaláxia até ser expulso pela segurança. Aqui não se joga a dinheiro, fique desde já a saber, e é provável que desconheça as regras de quase todos os jogos à disposição. Alguém há-de explicar, não se preocupe, mas evite os mais complicados. Na terceira sexta-feira de cada mês, a coisa torna-se ainda mais geek e os encontros (também gratuitos) acontecem no Pavilhão de Civil do Técnico, das 18.00 à 01.00, e no sábado seguinte das 15.00 à 01.00. Rua Andrade Corvo, 17. www.grupoblisboa.com

Tenha a cidade aos seus pés

O Panorâmico, com a melhor vista de 360 graus sobre Lisboa, fica no topo de Monsanto, mesmo ao lado da Força Aérea. A polícia costuma vigiá-lo com um carro estacionado à porta, por isso certifique-se de que não encontra ninguém, ou a brincadeira grátis pode sair-lhe cara. Facilmente vai conseguir passar pelas redes laterais do antigo restaurante inaugurado em 68 (e que em tempos foi um bingo) e ter a cidade aos seus pés.

Tenha a última palavra na Sagrada Família

Quartas são dias sagrados na Sagrada Família, em Alfama, para sessões de poesia, leitura de contos e open mic. Se tem problemas em falar em público, talvez possa começar a perder a vergonha nas Quartas da Palavra. Há sempre um convidado especial, geralmente alguém que tenha a última palavra nisto dos poetry slams.

Sagrada Família, Rua dos Remédios, 98. Quartas-feiras, às 21.00.

 Apanhe o wi-fi do vizinho

Quem diz do vizinho, diz do café onde está agora sentado ou do restaurante onde vai jantar. Não precisa de pedir a password, a app Wi-Fi Map memoriza quase todos os acessos às redes das redondezas e mostra-as num mapa para saber exatamente onde deve estacionar o seu computador e começar a trabalhar.

Jogue críquete no Martim Moniz

Ao fim da tarde, no Martim Moniz, o largo vai-se começando a transformar num campo de críquete. Imigrantes da Índia, do Bangladesh e do Paquistão juntam-se em frente ao Hotel Mundial para jogar – e cuidado para não lhe acertarem com uma bola, que ainda assim é de tênis e não tão pesada como as habituais. Se estiver interessado, pode juntar-se, mas avisamos desde já que pode ser complicado perceber as regras. Entre os praticantes habituais do críquete está um antigo jogador da seleção do Bangladesh, que chegou a jogar com Shakib Al Hasan, uma espécie de Cristiano Ronaldo do críquete.

Espante os seus males no Viking

Junte um grupo de amigas à segunda-feira, numa “Girls’ Night Out”, e espantem todos os males a cantar no karaoke do Viking. É grátis e há um grande repertório de canções para desafinar – a única falha é não existir “Morango do Nordeste”, dos Canta Bahia, um clássico para berrar ao microfone. À terça ninguém paga nem canta, até porque o mote da noite é “Bebe e Cala-te”. Abrir a boca, só para beber cerveja: na compra de uma oferecem-lhe outra, como se já estivesse a ver a dobrar. Viking, Rua Nova do Carvalho, 7. Entrada gratuita às terças.

Corra atrás destes grupos

Nike Run Club: Treinos de corrida semanais, para vários níveis e com coachers, às terças, às 20.00, na Nike Store do Vasco da Gama e às quintas, às 20.00, na loja do Chiado.

Hora do Esquilo: Para quem gosta realmente de acordar cedo para correr, o treino acontece todos os dias da semana, das 06.00 às 07.00, com o grupo do costume. O ponto de encontro é o parque de estacionamento da Estrada do Penedo, em Monsanto.

Correr Lisboa: Há treinos de segunda a quinta, distribuídos pela Pista de Atletismo Professor Moniz Pereira, pela Cidade Universitária ou pelo Parque das Nações (este último com uma corrida às quintas que inclui caminhada e só para mulheres).

Siga a massa crítica

Se já tem bicicleta mas não gosta de pedalar sozinho, siga a Massa Crítica. O grupo de ciclistas costuma encontrar-se todas as últimas sextas de cada mês desde 2003 para passeios noturnos. O ponto de encontro é no Marquês de Pombal, junto ao Parque Eduardo VII, a partir das 18.00, e a saída está prevista para as 19.00. O passeio costuma demorar duas horas.

www.massacriticapt.net

 Peça um skate emprestado e aprenda uns truques

Inaugurado no fim de 2013, o skatepark do Vale de Chelas é um dos melhores sítios para ver craques deslizar em piscinas vazias e fazer manobras em corrimãos – uma alternativa à concorrida Praça da Figueira. Uma tarde que passa a correr e, se estiver enturmado, talvez até lhe possam ensinar alguns truques. O parque está sempre aberto e o único problema é mesmo a falta de iluminação à noite.

Skatepark do Vale de Chelas. Paragem de metro mais próxima: Bela Vista.

Deixe as costas nas mãos de alguém

Se confia nas mãos dos alunos finalistas do Instituto de Medicina Tradicional, pode inscrever-se para uma massagem completamente grátis. As massagens fazem parte das aulas práticas dos alunos de vários cursos e estão disponíveis em três modalidades: massagem de relaxamento, shiatsu e tui-na, uma técnica chinesa que pode substituir a acupunctura. Apesar de haver marquesas e cortinas, lembre-se de que não está num spa e sim numa sala de aula, com um professor a avaliar a técnica do massajador. São eles que decidem quando lhe vão fazer a massagem, por isso, convém ter um horário flexível. Ainda assim, é grátis.

Instituto de Medicina Tradicional, Rua Alfredo Trindade, Campo Grande. Marcações de massagem pelo telefone 21 330 4965.

Experimente uma aula de yoga

Ser diletante tem várias vantagens: por exemplo, a de experimentar aulas grátis de várias modalidades, sem no final de contas se decidir por nenhuma – nem pagar a mensalidade de nenhuma. Pode começar com uma coisa mais espiritual e tentar uma aula de yoga no Yoga no Bairro, num pátio em Campo de Ourique, onde não lhe vão cobrar nada pela primeira visita. O ideal, e se quer ser um pelintra à séria, é continuar a fazer primeiras aulas de tudo o que lhe passar pela cabeça. Mas pode ser que o yoga o convença.

Yoga no Bairro, Rua Coelho da Rocha, 69, Pavilhão 9. Aulas de grupo em vários horários. www.yoganobairro.com

Recite poesia para o Povo

A poesia de Adília Lopes, os refugiados… São vários os temas que servem de inspiração às sessões de poesia do Povo, no Cais do Sodré. Os Poetas do Povo costumam encontrar-se às segundas-feiras, entre as 22.00 e as 00.00, e as sessões estão abertas a todos os que queiram recitar e ouvir poesia.

Poetas do Povo, Rua Nova do Carvalho, 32-36, Cais do Sodré. Às segundas, às 22.00.

 Corte o cabelo sem pagar um tostão

Às segundas, terças e quintas, em três horários possíveis, o Instituto de Estudos e Desenvolvimento dos Cuidados de Beleza aceita cobaias para lavagens e cortes de cabelo. Mais uma vez, vai pôr-se nas mãos de estranhos, desta vez de alunos da escola que forma cabeleireiros há 67 anos. Pode ir à confiança que só vai ficar com o cabelo às cores se quiser. O corte é combinado entre o aluno e o cliente. Nesses dias, basta aparecer num dos turnos das aulas, às 09.00, às 14.00 ou às 19.00.

Senhoras: Rua de São Paulo, 103, 1.º andar. Senhores: loja da Rua da Moeda, 11. 21 342 5941.

Assista a um concerto do outro lado do vidro da ZdB

Está mais frio na rua do que dentro do aquário da ZdB, mas sai mais barato não pagar bilhete. Ouve-se na mesma (principalmente se a banda for barulhenta) e vê-se ainda melhor.

 

 

 Não seja o mau da fita n’O Bom o Mau e o Vilão

Indie sessions, good vibe sessions, jam sessions… É escolher as sessões que mais lhe agradam e instalar-se numa das salas d’O Bom O Mau e O Vilão como se estivesse numa das divisões da sua casa. Às terças, há ainda curtas do Shortcutz. São três filmes por noite, sempre que possível apresentados por um ou vários dos seus autores. Uma tradição lisboeta que dura há sete anos.

 

Não leia sozinho

Junte-se a um destes clubes de leitura:

Clube de leitura da Livraria Ler. Rua Almeida e Sousa, 24-C.

Bookshop Bívar: há encontros de leitura anunciados antecipadamente no Facebook e lançamentos de livros em inglês. Rua de Ponta Delgada, 34-A.

Clube de Leitura da Fyodor Books. Rua do Loreto, 13, sobreloja.

Comunidade de Leitores da Culturgest: às quintas, na sala 1 da Culturgest. Rua do Arco do Cego.

Visite um museu no domingo de manhã:

Museu Nacional de Arqueologia
Museu Nacional dos Coches
Museu da Marinha
Museu do Traje
Museu Nacional de Arte Antiga
Mosteiro dos Jerónimos
Museu Calouste Gulbenkian
Estufa Fria
Museu do Chiado
Palácio Nacional da Ajuda
Torre de Belém
Panteão Nacional
Casa-Museu Dr. Anastácio Gonçalves
Museu do Teatro
Culturgest (todo o dia)

Ou sempre:

Museu Colecção Berardo
Atelier-Museu Júlio Pomar
Museu do Dinheiro
Museu Arqueológico dos Correeiros
Núcleo Arqueológico da Casa dos Bicos
Casa dos Gessos (Museu Militar)

Vá à feira

Feira das Almas. Primeiro fim-de-semana de cada mês na Taberna das Almas.
Feira da Ladra. Às terças e sábados no Campo de Santa Clara.
LX Market. Aos domingos na LX Factory.
Crafts & Design. Primeiro fim-de-semana de cada mês no Jardim da Estrela.
Sábados da Ribeira. Todos os sábados no Mercado da Ribeira.
Feira Intendente. Segundo domingo de cada mês.

 

Cole-se a uma festa Erasmus

Os alunos de Erasmus andam munidos com os seus cartões Life Lisboa Card que, entre outros poderes, dão acesso a festas gratuitas pela cidade em discotecas como o Urban Beach ou o MusicBox. Em algumas destas festas são incentivados a levar um amigo local (que também não paga nada). Mais uma boa razão para começar a internacionalizar as suas amizades e a colar-se à próxima festa com sotaque. O lema é “No regrets”, por isso não nos responsabilizamos pelo que possa acontecer. www.erasmuslifelisboa.com

 Ganhe o quiz

Finalmente vai poder pôr os seus conhecimentos de egiptologia e afins à prova nas quintas de quiz n’O das Joanas, em pleno Largo do Intendente, pelas 21.15.

Jogue tênis no bate-bolas do Jamor

Uma coisa é certa: a parede vai sair sempre a ganhar, por isso este desporto não é aconselhável a quem tem mau perder. Ainda assim, e em vez de bater com a cabeça nas paredes num dia sem nada para fazer, bata com uma bola de ténis na parede bate-bolas do Jamor.

Maquilhe-se no El Corte Inglés

Antes de sair à noite, passe pelo piso térreo do centro comercial para “testar” os novos batons das lojas de maquilhagem. Com sorte, e mesmo sem comprar nada, alguma funcionária vai querer mostrar-lhe os outros produtos da mesma marca e sai de lá pronta para entrar no Lux.

 

 

Dedique-se ao pingue-pongue no Dogtails

Não precisa de raquetes nem bola. Basta aparecer no Dogtails, no Mercado de Fusão do Martim Moniz, e apoderar-se da mesa de pingue-pongue. Além de cachorros, eles têm o material para bater umas bolas com alguém enquanto espera pelo seu pedido – ou pode ser mesmo pelintra e nem pedir comida.

 

 

Chore de alegria

Chama-se Roda de Choro mas não há drama – pelo contrário. Há música de baile à brasileira com base de cavaquinho, violão, e pandeiro todas as segundas-feiras a partir das 22.30.

 

 

Junte-se às estrelas mundiais de rock

Às quintas e sextas-feiras, o Hard Rock Café tem música ao vivo e não cobra entrada. Tocam sobretudo bandas de garagem ou de covers. As quartas são noites de Música A La Carte em que qualquer pessoa, inspirada pela memorabilia espalhada pelas paredes (que inclui peças de roupa de Elton John, Elvis Presley ou Jimmi Hendrix), pode subir ao palco e cantar com a banda de serviço. Há mais de 60 canções à escolha e uma delas há de ser o “Come On Eileen”. Enfim.

 

Combata a neura de segunda-feira

O titanic Sur Mer, bar de Manuel João Vieira que é o sucessor espiritual do Maxime, tem uma iniciativa nobre para lutar contra a depressão das segundas-feiras: no palco do Titanic Jazz Jam está o trio de Nuno Ferreira.

 

 

Visite as obras no Campo das Cebolas

Abrir o chão por baixo do Campo das Cebolas foi como abrir um Ovo Kinder. Lá dentro encontraram-se muitos artefactos, às peças ou praticamente inteiros, que nos mostram uma Lisboa há muito desaparecida. A visita aos trabalhos dos arqueólogos é grátis, repete-se todas as sextas-feiras e tem inscrição obrigatória no site da EMEL.

 

Seja generoso: doe sangue

Doar sangue é um dos investimentos mais recompensadores que pode fazer: e não custa nada. Há uma Brigada de Recolha na Rua José António Serrano, no Hospital de São José, dias úteis das 08.30 às 18.00. Ao fim-de-semana o sangue não tem folga e as recolhas acontecem entre as 09.00 e as 13.00. Recebe um lanche grátis, mas é mau sinal se essa for a sua motivação.

 

 

Fonte: Revista TimeOut

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *