fbpx

Notícias

Especialista em vinhos revela curiosidades do Alentejo em prova de vinhos

Especialista em vinhos revela curiosidades do Alentejo em prova de vinhos

‘Quando Pedro Álvares Cabral descobriu o Brasil trouxe garrafas de Pera Manca’, contou Alexandre Lalas

RIO – Especializado em vinhos, o jornalista Alexandre Lalas revelou diversas curiosidades sobre a região do Alentejo, em Portugal, durante a prova de vinhos da vinícola Herdade do Esporão, no Rio Gastronomia. Primeiro, ele fez questão de esclarecer que, ao contrário do que muita gente pensa, o Alentejo não é um “novo mundo português”, mas sim uma região que já produzia vinhos há 4 mil anos, antes mesmo do Douro.

– Quando Pedro Álvares Cabral descobriu o Brasil trouxe garrafas de Pera Manca, que é um vinho do Alentejo. Essa confusão se dá porque, nos anos 1930, o ditador Antônio Salazar quis fazer da região um celeiro de Portugal e mandou arrancar todas as vinhas. A produção de vinho no Alentejo só foi retomada após a Revolução dos Cravos e teve o auge do seu renascimento na década de 1990 – explicou.

Um segundo mito derrubado pelo jornalista foi o de que o vinho alentejano tem um perfil único – algo impossível de acontecer numa região que tem clima, solos, relevos e uvas tão distintos. A Herdade do Esporão, por exemplo, planta vinhas em solos de argila, calcário, xisto, granito e aluvião, tendo iniciado a fabricação de vinhos em 1985.

– É uma vinícola à frente das outras em tecnologia e filosofia. Um exemplo: há quatro anos ela começou a criar, nas vinhas, uma espécie de morcego que se alimenta dos insetos que atacam as plantas. Outro exemplo: a Herdade do Esporão planta frutas mais interessantes para os passarinhos que as uvas e, assim, faz um controle biológico das pragas – contou.

A prova de vinhos contou com rótulos premiados – Adriana Lorete / Agência O Globo

Na hora da degustação, Lalas apresentou quatro vinhos. Dois brancos: Esporão Reserva 2016 (corte de antão vaz, arinto e roupeiro) e Private Selection branco 2013 (produzido com a uva francesa semillon). E dois vinhos tintos: Esporão Reserva 2014 (corte de alicante, trincadeira, aragonez e cabernet sauvignon) e Private Seletion 2011 (alicante bouchet, aragonez e syrah). Aproveitou, ainda, para explicar o conceito de acidez no vinho e ensinar como se degustar a bebida.

– Vim para sugar todo esse vasto conhecimento que o Lalas tem sobre os vinhos de Portugal. E, principalmente, para poder degustar os vinhos da Herdade do Esporão, o que é uma oportunidade única aqui no Rio Gastronomia. O branco de 2016 que ele serviu foi uma grata surpresa para mim, um excelente vinho num ano em que a safra foi afetada por um clima bastante instável – comentou a sommelière Patrícia Lima, na plateia.

O Rio Gastronomia, uma realização O GLOBO, é apresentado pelo Sistema Fecomércio RJ, por meio de Sesc e Senac, com patrocínio master de Santander, Claro e CEG e patrocinio de Brahma Extra, Pão de Açucar e Sebrae. O evento tem ainda o apoio de Água Mineral São Lourenço, Azeite Andorinha, Oster, Air France, Vogue Square e Leite de Magnésia de Phillips e Orfeu como café oficial e parceria com Sindicato de Bares e Restaurantes (SindRio).

Fonte: www.oglobo.globo.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *