Notícias

Fusões e aquisições aumentaram 23% em julho

Fusões e aquisições aumentaram 23% em julho

Fusões e aquisições aumentaram 23% em julho

A Transactional Track Record divulgou esta quarta-feira o relatório mensal referente a julho. A transação do mês foi a compra de uma participação de 51% no capital social da LFP, da TAP Air Portugal, por parte da Vinci Airports.

No mês passado, Portugal contabilizou 37 transações, o que representa um aumento de 23%, comparativamente ao período homólogo, de acordo com o último relatório mensal de M&A da Transactional Track Record.

O documento, divulgado esta quarta-feira, dá conta de que A transação do mês foi a compra de uma participação de 51% no capital social da LFP – Lojas Francas de Portugal, da TAP Air Portugal, por parte da Vinci Airports. O valor da operação foi de 15,6 milhões de euros e foi assessorado pela CMS Rui Pena & Arnaut (Vinci Airports) e pela PLMJ (TAP Air Portugal).

“O subsetor que mais se destacou em julho foi transportes, aviação e logística, com cinco transações. Na sequência aparecem, com o mesmo número de transações (4) os segmentos financeiro e Seguros e distribuição e retail, que no acumulado do ano cresceram juntos 36%”, indica o relatório, acrescentando que o imobiliário continua a ser o ramo mais ativo do ano.

Das 37 transações, 12 envolveram valores no total de 3,2 mil milhões de euros. Assim, só nos primeiros sete meses do ano, houve 214 fusões e aquisições no país, avaliadas em 12 mil milhões de euros. As mais de 200 operações assinaladas em Portugal representam um crescimento de 240% face ao mesmo período de 2016.

Quanto à assessoria financeira e jurídica, o Natixis Partners (2,5 mil milhões de euros) e a Morais Leitão (1,9 mil milhões de euros) encabeçam a tabela, respetivamente, em termos de montantes das transações apoiadas. Segue-se o Millennium BCP, com 2,1 mil milhões de euros, e a Vieira de Almeida, com mil milhões de euros, em cada um dos parâmetros.

Os investimentos de Portugal no estrangeiro aglomeraram-se na Grécia (500 milhões de euros) e em França (29 milhões de euros), onde o país fez as maiores aquisições de 2017. Os números do Transactional Track Record apontam ainda para 70 operações de cross-border inbound, sete transações de private equity em julho e uma de venture capital.

Fonte: www.jornaleconomico.sapo.pt

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *